Lu Conviteria - Convites de Casamento
   
   
  Última atualização   14 de dezembro de 2018 | 04:31:11
Contato

Estado deve R$ 7 milhões do Fundeb para Poços de Caldas


Incluída em: 29/07/2018 | 21:03


A Prefeitura de Poços registra uma dívida de aproximadamente R$ 7 milhões do governo do Estado de Minas Gerais para com a Educação no município. Os valores são referentes ao Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação -Fundeb, cujo repasse está em atraso desde o mês de maio.

"O governo do Estado está retendo estes valores. Simplesmente não há repasse ou existe apenas um repasse mínimo. Isso em todos os municípios mineiros. Muitos deles estão com dificuldades para cumprir a folha de pagamento e não conseguiram realizar o adiantamento da primeira parcela do décimo terceiro salário. Aqui em Poços, graças ao nosso esforço em cortar despesas e adequação de receitas e despesas, conseguimos realizar este pagamento. Mas, a situação está se complicando cada vez mais e o governo estadual não nos dá nenhuma perspectiva de quando irá retomar estes repasses com os valores integrais, como fará para quitar os atrasados, nada", informa o prefeito Sérgio Azevedo.

Os recursos do Fundeb são utilizados, em sua maior parte, para o pagamento da folha salarial dos profissionais da Secretaria Municipal de Educação. São cerca de três mil funcionários que atendem diariamente 20 mil alunos. “Gerenciar uma Secretaria Municipal de Educação da dimensão de Poços de Caldas, com a incerteza do valor mensal a ser repassado ou mesmo se esses recursos serão recebidos até o final do mês, dificulta muito o planejamento da gestão e a execução das despesas”, aponta a secretária-adjunta de Educação, Daniela Volpi.

O governo do Estado vem atrasando os repasses desde o ano passado. Primeiro foi em relação ao ICMS, com acumulados em setembro, outubro e novembro. Em dezembro, a situação foi regularizada. Este ano, nos primeiros quatro meses, o governo reteve o IPVA, situação que também se regularizou em maio, porém ficando em dívida a parte do Fundeb do IPVA.

"É uma situação absolutamente ilegal. Não estamos solicitando nenhum valor a mais do que nos é devido. E o pior é que o Estado não nos dá nenhuma previsão de quando estes repasses serão normalizados, praticamente inviabilizando novos projetos e investimentos no município. Muitos serviços temos que diminuir o ritmo, outros paralisar, outros não começar, porque não há esta perspectiva, não podemos fazer uma programação de andamento de obras, pois os recursos destinados a estes serviços, estão sendo destinados ao pagamento do pessoal da Educação, verba esta que deveria vir do Fundeb", esclarece o prefeito.

Outro aspecto levantado pelo prefeito é com relação ao cumprimento da Lei 11.494/2007. Sem os recursos do Estado, a Lei que obriga a investir, no mínimo, 60% dos valores do Fundeb na Educação, corre o risco de não ser cumprida, trazendo também um prejuízo de ordem legal aos administradores dos municípios mineiros.

"A situação que hoje já está grave, pode se agravar mais, podendo até mesmo ocorrer atraso no pagamento dos salários dos servidores. Estamos fazendo todos os esforços, mas está muito complicado", desabafa o prefeito. O caminho a seguir, segundo Sérgio Azevedo, seria acionar o Estado de MG na Justiça, como estão fazendo muitos municípios, por meio da AMM (Associação Mineira de Municípios).

ACS/Prefeitura de Poços de Caldas

 

2 - Anuncie Aqui Pocos-Net 2017 2 Pocos-Net 2017 3



ENQUETE

Sites Poços - Net | Anuncie | Central de Denúncias | Trabalhe na Rede Sulmineira de Provedores Ltda. | Política de Privacidade
© Copyright 1996-2013, Grupo Poços-Net - Todos os direitos reservados